Notícias

Nossas Lutas

15J: Dia Nacional de Luta , greve e mobilização no Judiciário é marcado por paralisações em vários estados

Servidores não aceitam reajuste zero e intensificam pressão por recomposição salarial; atividades acontecem em todo País

 Mais uma vez servidoras e servidores do PJU vão às ruas reforçar a luta pela recomposição salarial e mostrar indignação contra o governo que assumiu que não vai conceder nenhum tipo de reajuste para o funcionalismo em 2022. A data é parte do calendário de lutas aprovado na reunião “Ampliadinha” da Fenajufe, ocorrida dia 08.

Para marcar a data, os sindicatos de base realizarão atos em vários estados com paralisações e assembleias      para aprofundar o debate para a construção de greve no PJU.

Na última semana a Federação protocolou ofício no STF cobrando o envio imediato de um projeto de lei que garanta reajuste dos salários da categoria, mas até o momento, a Suprema Corte não deu nenhum sinal de avanço. A cúpula do Judiciário está negociando aprovação da PEC63. A PEC, que cria quinquênios para magistrados e membros do Ministério Público tem recebido todo empenho do presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD/MG) para votação favorável.

Desde o mês de janeiro as categorias do funcionalismo buscam diálogo com o governo na tentativa de negociar a pauta de reivindicação, mas continuam sendo ignoradas pela gestão que menospreza servidores e classe trabalhadora como um todo.

Em maio, em consulta feita pela Casa Civil, Fux informou que o Judiciário dispõe de recursos suficientes para arcar com um reajuste mínimo de 5%; no entanto, após Bolsonaro e sua equipe anunciar que não vai conceder reajuste às trabalhadoras e trabalhadores do funcionalismo público, o presidente do STF permaneceu em silêncio sepulcral.

Agora, com o calendário eleitoral exíguo e a escancarada negativa do presidente Bolsonaro em conceder reajuste para os servidores, além da pressão ao governo é preciso pressionar de forma mais ofensiva o Supremo.

É urgente cobrar o presidente do STF, ministro Luiz Fux, que assuma o seu papel e encaminhe o projeto de lei ao Congresso,tendo em vista a sobra de R$ 3 bilhões que pode ser revertida para a recomposição salarial dos servidores do PJU.

A categoria não vai dar trégua.confira agenda de mobilização:

21 e 22/06 – Dias de mobilização nacional com foco no STF, pela revisão salarial, cobrando do presidente do Supremo o envio de projeto de recomposição das perdas da categoria, a qual, com a previsão inflacionária de 2022, já chegaria a 30,66%. Neste dia teremos julgamento no pleno sobre pagamento de precatórios. Pressão virtual também por e-mails.

Julho – realização de atividades (faixaço;pressão nos e-mails; ofícios dos sindicatos cobrando os Ministros do STF, cobrar reuniões/audiências com todos os Ministros do STF) bem como a realização de assembleias para aprovação do estado de greve" da categoria com aprovação do “estado de greve” da categoria e indicação de paralisação em 03/08.

03/08 – Apagão do Judiciário com paralisação pela recomposição das perdas, cobrando o envio do STF de projeto ao Congresso Nacional.

Veja a programação nos estados desta quarta-feira.

 

Entidades

Resultado de Assembleias

Sindjus/AL

Os servidores do Judiciário Federal deflagrarão paralisação de 24 horas no dia 15 de junho. Nesse dia, o Sindjus-AL realizará ato público em frente ao prédio das Varas do Trabalho a partir das 9 horas.

Sindjufe/BA

15 de junho: assembleia geral híbrida e ato pela reposição salarial.

 As 14 horas : as atividades híbridas/presenciais estarão condicionadas às condições sanitárias, visto que há um aumento significativo dos casos de covid-19.

   

Sintrajufe/CE

Sindissétima/CE

Sinje/CE

Ato conjunto com outras categorias  a partir das 9h.

Local: Edifício Sede da Justiça Federal no Ceará (Praça General Murilo Borges) – Rua Pedro I, Centro – Fortaleza.

Concentração: o Sindissétima fará a concentração dos servidores da Justiça do Trabalho às 08h no Edifício Dom Hélder Câmara (Fórum Autran Nunes – Fortaleza/CE) e partirá rumo à Praça Murilo Borges às 09h.

Sindjufe/MS

O sindicato está organizando uma caminhada pelos tribunais a partir das 12 horas começando pelo TRE, passando pela Justiça Federal e finalizando no TRT.

   

Sinjutra/PR

 Aprovou entrar em estado de greve e paralisação de 24 horas no dia 15 e se reúnem em assembleia para avaliar o cenário e debater estratégias. O evento ocorrerá de forma híbrida, online e presencial, e será realizado no auditório do Fórum Trabalhista de Curitiba, com inicio previsto para as 14horas. 

Sisejufe/RJ

Vai realizar mobilização virtual com transmissão de  live sobre recomposição salarial.

Sintrajufe/RS

A categoria aprovou a realização de dia de mobilização em 15 de junho, com assembleias de base e atos em frente aos prédios em Porto Alegre

Sintrajusc/SC

Ato - às 16 horas na rampa do TRT Esteves Júnior, em Florianópolis e confirmados Atos nas unidades de trabalho de Chapecó, Lages, Xanxerê, Criciúma, Tubarão e Rio do Sul.

Sintrajud/SP

Servidores e servidoras do Judiciário Federal de São Paulo aprovaram a realização de uma paralisação de 24 horas.

Além da paralisação, os servidores e servidoras vão realizar um ato e nova assembleia estadual em frente ao TRF-3, em formato híbrido. O objetivo é protestar e discutir os próximos passos da luta contra os ataques ao teletrabalho e as compensações indevidas na Justiça Federal da 3ª Região, a redução do quadro padrão de pessoal nas varas trabalhistas e reestruturações na Justiça Eleitoral, além da recomposição salarial.

Sitraemg/MG

Os servidores do Judiciário Federal em Minas Gerais vão realizar paralisação de 24 horas com assembleia geral extraordinária da em frente ao prédio da Justiça Federal para avaliar os rumos do movimento e discutir novos encaminhamentos.

Sintrajuje/PE

Ato  no TRE– 10 horas  e mobilização virtual

Sindiquinze/SP

Assembleia Geral Extraordinária aprovou  paralisação de 24hs no próximo dia 15 de junho pela reposição salarial de 19,99%.

 

Joana Darc Melo

Veja ainda

  • SINDIJUFE-MT lamenta a perda do Oficial de Justiça Clayton Mesquita, assassinado no Pará

  • Sindijufe aciona União

  • Trabalho: o que a Espanha ganhou ao restaurar direitos

  • Mudanças nas Mudanças nas relações sindicais: construção de novos horizontes