Notícias

Notícias

FUNPRESP/Sindicato disponibilizará vídeo com especialista para ajudar os Servidores a entenderem a previdência complementar

Diretores do SINDIJUFE-MT estiveram reunidos com o advogado especialista Bruno Martins para tratar sobre o esclarecimento dos Sindicalizados quanto ao Funpresp

Tendo em vista que no final de julho vence o prazo para os servidores públicos decidirem se migram ou não para a Previdência Complementar conforme o previsto no artigo 92 da Lei 13.328/16, o SINDIJUFE-MT está produzindo um vídeo com um especialista no assunto a fim de orientar a Categoria a tomar a melhor decisão.  

 

No vídeo o advogado Bruno Martins buscará elucidar as questões que envolvem a Previdência Complementar como um todo, dando uma ênfase especial aos aspectos relacionados à migração e esclarecendo todas as dúvidas da Categoria.

 

Segundo Bruno Martins, esta migração é apenas um ato que leva o Servidor para o Regime Complementar. "Portanto, o Servidor do Judiciário Federal precisa conhecer o regime complementar como um todo, e precisa conhecer também os aspectos específicos da migração", adiantou.

 

Saiba mais

 

O servidor público que ingressou nos poderes Executivo e Legislativo Federal antes de 7 de maio de 2013, respectivamente, com ou sem direito à integralidade e paridade, tem até o dia 29 de julho para decidir se deve ou não migrar para a previdência complementar, que é quando vence o prazo de adesão previsto no artigo 92 da Lei 13.328/16.

 

De acordo com estudiosos como o jornalista, consultor, analista político e diretor de Documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) Antônio Augusto de Queiroz, é importante lembrar que a opção pela previdência complementar, caso o segurado tome essa decisão, se dará em caráter irrevogável e irretratável, de acordo com o parágrafo único do artigo 92 da Lei 13.328/16. Se não o fizer, o segurado ficará irremediavelmente vinculado ao regime próprio e, em consequência, sujeito às eventuais mudanças nos regimes previdenciários decorrentes de reformas previdenciárias futuras.

 

Cada caso é um caso, e por isso o servidor precisa refletir sobre o melhor caminho a tomar — se migra ou fica no regime próprio — à luz de informações seguras. Os estudos que algumas entidades já proporcionaram aos seus representados fornecem evidências, dados, informações e análises que deixam o servidor confortável para decidir.

 

O vídeo explicativo do advogado Bruno Martins será disponibilizado pelo SINDIJUFE-MT para todos os seus sindicalizados na segunda semana de julho. Não percam! Os sindicalizados poderão tirar suas dúvidas e assim tomar uma decisão segura.

 

LUIZ PERLATO/SINDIJUFE-MT

27 06 2018

 

Veja ainda

  • REFORMA DO ESTATUTO/SINDIJUFE-MT retoma votação no TRE. Veja como foi a votação na JF

  • Encontros da Fenajufe apontam a necessidade de união da Categoria para enfrentamento dos ataques a direitos

  • Servidores federais cobram negociação e resposta à pauta no Planejamento

  • Rumo a uma economia sem trabalhadores?