Notícias

Gerais

Governo enterra possibilidade de terminar VLT e anuncia troca pelo BRT

Da Redação - Max Aguiar/ Do Local - Airton Marques

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Governo enterra possibilidade de terminar VLT e anuncia troca pelo BRT

O governador Mauro Mendes (DEM) enterrou, nesta segunda-feira (21), qualquer possibilidade de terminar as obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), e comunicou que irá trocar o modal pelo de "Bus Rapid Transit" (BRT). A informação foi dada em entrevista coletiva. 

Foi após seis anos que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) voltou a ser pauta oficial do governo de Mato Grosso. A reunião aconteceu na tarde desta segunda-feira (21) no Palácio Paiaguás, com o governador acompanhado da prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM) e do vice-prefeito eleito de Cuiabá, José Roberto Stopa (PV). 

"Depois de muito estudo, questões técnicas, [decidimos que] a melhor solução para dar o fim a esse pesadelo é mudar o modal de VLT para o BRT e acabar com a obra parada", disse o governador nesta tarde de segunda-feira (21). 

A entrevista foi dada na Sala Garcia Neto, e nela Mauro falou dos estudos que foram feitos sobre o assunto, que resultara  em mais de 1,4 mil páginas. As obras do VLT estavam paralisadas desde 2014.

A viabilidade do modal VLT é discutida na Comissão de Mobilidade Urbana do Governo Federal desde 2019, a pedido do Governo do Estado. Segundo o Mauro, o governo da época não escolheu o BRT em 2013 por motivos outros, como pagamento de propina.

"Se for um VLT, a complexidade é gigante. O melhor era fazer linhas do BRT. Os técnicos apontam 11 VLT's a mais do que é necessário. Mesmo no horário de pico, ficaríamos com onze [veículos] parados sem nenhuma utilização. São estudos da KPMG e Instituto Oficina", disse o governador.  

"O BRT vai subir a Filinto Müller ou Couto Magalhães e vai pegar mais passageiros que pegaria o VLT. O impacto do trânsito é menor. O sistema é sob pneus e agride menos", completou. 

Além disso, o governador falou a Avenida do CPA terá uma ciclovia, em espaço arborizado e sem nenhum tipo de degradação ao meio ambiente. "Com o BRT não será necessário que cortem-se mais árvores em Cuiabá, e ainda terá ciclovias", garantiu o governador. 

Olhar Direto

Veja ainda

  • Técnicos Judiciários e os prejuízos oriundos da retirada da sobreposição

  • SINDIJUFE-MT discute sobre Covid-19 e anuncia providências em defesa da Categoria em Mato Grosso

  • 13 - EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA E VIRTUAL

  • Centrais sindicais listam vacinação e auxílio emergencial como pautas prioritárias para 2021