Notícias

Gerais

OAB vai ao CNJ para apurar encontros de Marcelo Bretas com Bolsonaro

Juiz Marcelo Bretas - Fernando Frazão/Agência Brasil

Juiz Marcelo Bretas - Fernando Frazão/Agência Brasil

 

O juiz da Lava Jato acompanhou a comitiva presidencial no RJ e participou de eventos junto com Bolsonaro e Crivella

A Organização dos Advogados do Brasil decidiu entrar com uma  “reclamação disciplinar” no Conselho Nacional de Justiça contra o juiz Marcelo Bretas, que comanda a operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

 

O presidente da Ordem,  Felipe Santa Cruz, pede que o CNJ apure “atos de caráter político partidário, de superexposição e de autopromoção” praticados por Bretas em encontros que o juiz realizou com o presidente Jair Bolsonaro e Marcelo Crivella.

 

? Leia também:

 

No último sábado 16, Bretas acompanhou a comitiva presidencial no Rio de Janeiro e esteve ao lado de Bolsonaro e Crivella na inauguração de uma obra e posteriosmente em um evento evangélico que aconteceu na Praia de Botafogo. O juiz chegou a andar no carro oficial da presidência.

E não só isso: o juiz também posta elogios ao presidente em suas redes sociais, além de enfatizar sua fé evangélica.

(Rio de Janeiro – RJ, 15/02/2020) Inauguração da Alça de ligação da Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha/RJ.
Foto: Carolina Antunes/PR

A representação da OAB enfatiza que Bretas “não apenas participou de evento de natureza política, em manifesta afronta à vedação constitucional, como acompanhou a comitiva presidencial desde a chegada na cidade do Rio de Janeiro, publicando, ainda, postagens com manifestação de apreço em redes sociais”.

A OAB pede ao CNJ que seja instaurado um processo administrativo disciplinar com posterior aplicação da sanção cabível a Bretas.

Em suas redes sociais, o juiz justificou o encontro dizendo que é um ato comum entre os poderes. “Esclareço que desde sempre professo a Fé Cristã Evangélica, e que fui muito bem recebido pelo Pastor RR Soares, responsável pelo evento, com quem orei e entoei louvores ao nosso Deus”, disse.

Vale notar que a participação de autoridades do Poder Judiciário em eventos de igual natureza dos demais Poderes da República é muito comum, e expressa a harmonia entre esses Poderes de Estado, sem prejuízo da independência recíproca.

— Marcelo Bretas (@mcbretas) February 18, 2020

CARTA CAPITAL

Veja ainda

  • Conselho de Medicina pede que governador alugue quartos em hotéis para profissionais da saúde

  • Especialista analisa projeto de lei de redução do salário dos servidores

  • A FEBRIL INDÚSTRIA DO VÍRUS: Uma mina de ouro para os laboratórios

  • Governo edita Medida Provisória permitindo corte de salários. Compensação virá por seguro-desemprego