Notícias

Nossas Lutas

Paralisação no judiciário federal de Mato Grosso nesta terça-feira; saiba por que aderir; participe!

Nesta terça-feira, 14 de junho, tem nova paralisação no judiciário federal de Mato Grosso, pela recomposição salarial dos Servidores. Com os salários congelados desde 2017, a Categoria já perdeu mais de 30% do poder de compra somente no atual governo, mas, nacionalmente, vem sendo reivindicada uma reposição emergencial de 19.99%, que correspondem à inflação de janeiro de 2019 a dezembro de 2021, e há indícios de que, sem um aumento da mobilização, não haverá aumento salarial, nem mesmo os 5% que o governo já havia sinalizado que poderia ser concedido.

Durante o período janeiro/2019 a dezembro/2021, do atual governo, e considerando o índice IPCA - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, as perdas são 19,99% oficialmente. Se o índice previsto pelo Banco Central em seu Boletim Focus for confirmada, podemos acrescer às perdas, mais 8,89%, totalizando até dezembro/2022 aproximadamente o índice de 30,66 % de perdas salariais. Mas o presidente Bolsonaro já confirmou que não dará nenhum reajuste a Servidores, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, também não sinalizou, até agora, que os salários dos Servidores serão recompostos. A Fenajufe está considerando o índice atualizado para as lutas que teremos de travar. A situação salarial, sem a luta dos servidores para a recomposição das perdas, deteriora ainda mais os salários e as condições de trabalho.

Diante deste cenário, a Fenajufe (nossa Federação) vem cobrando dos Sindicatos mais ação nos estados, e foi assim que Mato Grosso aprovou, em assembleia geral, as paralisações nos dias 9 e 14 de junho, ao mesmo tempo em que as entidades se organizam para uma cobrança mais incisiva junto ao Supremo Tribunal Federal, em favor dos Servidores.

Meses atrás o presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, se comprometeu, em reunião com lideranças da Categoria, para o encaminhamento imediato do projeto de recomposição salarial dos Servidores do PJU e MPU, mas isso até hoje não aconteceu.

Sem outra alternativa, o SINDIJUFE-MT conclama os Servidores da Justiça do Trabalho, Justiça Eleitoral e Justiça Federal de Mato Grosso a aderirem à paralisação, cruzando os braços nesta terça-feira.

E a luta pela recomposição salarial vai continuar: terça-feira (21 de junho) e quarta-feira (22) serão dias de mobilização nacional pelo envio de projeto de recomposição das perdas da Categoria (com foco no STF, pela revisão salarial, cobrando do presidente do Supremo o envio de projeto de recomposição das perdas da categoria, a qual, com a previsão inflacionária de 2022, já chegaria a 30,66%).

Luiz Perlato - SINDIJUFE/MT

Veja ainda

  • SINDIJUFE-MT lamenta a perda do Oficial de Justiça Clayton Mesquita, assassinado no Pará

  • Sindijufe aciona União

  • Trabalho: o que a Espanha ganhou ao restaurar direitos

  • Mudanças nas Mudanças nas relações sindicais: construção de novos horizontes