Notícias

Notícias

Reunião Ampliadinha aprova novo calendário de mobilização e aponta para ações incisivas no Supremo Tribunal Federal

Encontro híbrido aprovou ato dias 21 e 22 em frente ao STF, e apagão no Judiciário dia 03 de agosto; confira calendário

Com a pauta pela recomposição salarial emergencial e calendário de lutas, a Fenajufe realizou mais uma reunião ampliadinha nesta quarta-feira (8). Em formato híbrido o evento teve participação de 17 sindicatos de base que aprovaram novo calendário de mobilização e luta por unanimidade.

Os coordenadores gerais Lucena Pacheco e Fabiano dos Santos conduziram os trabalhos. Em fala inicial Lucena falou do encaminhamento da deliberação congressual que cria o Conselho Deliberativo da Fenajufe com os sindicatos de base que já está em fase de registro da documentação.

Logo após, a coordenadora abriu o debate falando da necessidade urgente de” investir” em ações de mobilização ao Supremo Tribunal Federal. A iniciativa visa cobrar do presidente, ministro Luiz Fux, o encaminhamento imediato do projeto de recomposição salarial das servidoras e servidores do PJU e MPU.

Além deles, a reunião teve presenças dos coordenadores Sandra Dias, Luciana Carneiro, Fabrício Loguércio; Fábio Sabóia, Jaílson Laje, Denise Carneiro, Paula Meniconi, José Ribamar; Fernanda Lauria; Charles Bruxel; Luiz Cláudio Correa;Thiago Duarte; Paulo José da Silva,Paulo Roberto Koinski, e Manoel Gérson.

Cobrar urgência do STF é prioridade para todos os dirigentes de sindicatos presentes na reunião.Foi consenso entre os participantes, usar de táticas mais incisivas e ofensivas à Suprema Corte para que o ministro cumpra o papel e atenda o pleito da categoria.

Um calendário com novas ações mobilizativas foi definido. A data do dia 15 aprovada no Plano de Lutas do 11° Congrejufe foi mantida como “Dia Nacional de Paralisações, Mobilizações e Greve no PJU.

Já aprovaram paralisação neste dia os sindicatos Sintrajud/SP, Sinjdjufe/BA e Sindjus/AL. Demais sindicatos vão realizar várias atividades no decorrer do dia de forma unitária dentro e fora dos locais de trabalho ou conjuntas como os sindicatos   no estado do Ceará, Sintrajufe/CE, Sinje/CE, Sindissétima/ CE e o Fórum Cearence em Defesa do Serviço Público que irão juntar as forças para mobilizar.

Mesmo com o relato de dificuldade enfrentada por algumas entidades, os sindicatos tem levado o debate para as bases nas assembleias para fortalecer a luta pela recomposição e demais pautas do PJU como NS, Desjudicialização e Quinquênios entre outras.   

A avaliação geral dos dirigentes é unidade para apertar o cerco aos ministros do STF e massificar as mobilizações. Nesse sentido na tarde desta quinta-feira (9) A Fenajufe protocolou ofício no Supremo cobrando do ministro Fux o envio do projeto. Ofício com igual teor foi encaminhado à Procuradoria Geral da Republica (PGR) Augusto Aras.

Participaram os sindicatos; Sindjus/AL, Sindjufe/BA,  Sitraam/ AM, Sintrajufe/CE, Sinje/CE, Sindissétima/CE, Sindjufe/MS, Sintrajusc/SC Sindjufe/MT, Sindjuf/PAAP; Sisejufe/RJ; Sitraemg/MG. Sintrajufe/RS, Sintrajud/SP; Sintrajufe/PE, Sinjutra/PR, Sinjuspar/PR, Sindiquinze/SP.

 Encaminhamentos:

 Luta ampliada das demandas da categoria;

 concentrar na recomposição, incluindo data base;

recomposição com duas linhas: emergencial para 2022 com o índice de 30,66%, e, inclusão no orçamento em agosto para 2023.

campanha de mídia: divulgação de material já disponibilizado pelas entidades;

entidades encaminharem ofícios ao STF/Fux ratificando a imperiosa necessidade de receber a Fenajufe;

 calendário aprovado

15/06 – Mobilizações e paralisações na luta pela revisão salarial. Atos nos Estados. Soltar uma nota dura em relação ao tema e cobrando Fux e Bolsonaro, tratando, inclusive, dos quinquênios (PEC 63)

21 e 22/06 – Dias de mobilização nacional e em Brasília, com foco no STF, pela revisão salarial, cobrando do presidente do Supremo o envio de projeto de recomposição das perdas da categoria, a qual, com a previsão inflacionária de 2022, já chegaria a 30,66%. Neste dia teremos julgamento no pleno sobre pagamento de precatórios. Pressão virtual também e-mails. 

Julho – realização de atividades (faixaço, pressão nos e-mails, ofícios dos sindicatos pelo Brasil cobrando os Ministros do STF, cobrar reuniões/audiências com todos os Ministros do STF) e realizar assembleias com aprovação do “estado de greve” da categoria, e indicação de paralisação em 03/08.

03/08 – Apagão do Judiciário com paralisação pela recomposição das perdas, cobrando o envio do STF de projeto ao Congresso Nacional.

Veja ainda

  • SINDIJUFE-MT lamenta a perda do Oficial de Justiça Clayton Mesquita, assassinado no Pará

  • Sindijufe aciona União

  • Trabalho: o que a Espanha ganhou ao restaurar direitos

  • Mudanças nas Mudanças nas relações sindicais: construção de novos horizontes