Notícias

Notícias

SINDIJUFE-MT entra com ação pelo direito de aposentadoria dos Servidores

Se antigamente já não estava fácil para se aposentar, desde o final do ano passado ficou ainda mais difícil, porque no dia 12 de novembro de 2019 foi promulgada pelo Congresso Nacional a Emenda Constitucional 103, que alterou o sistema de Previdência Social estabelecendo regras de transição e disposições transitórias.

Este tema polêmico esteve no centro das discussões e deliberações da Diretoria do Sindijufe-MT em reunião ordinária no dia 08 setembro. O debate girou em torno da revogação de emendas constitucionais anteriores à Emenda 103/2019, que trouxe um problema sério para os servidores que ingressaram no serviço público até antes da vigência da Emenda 41 e 47, pois foi retirado dos servidores da ativa o direito à aposentadoria integral e com a devida paridade.

Após muita discussão sobre o assunto foi deliberado que o Sindicato entrasse com uma ação para garantir o direito dos servidores às regras de transição das emendas 41 e 47. É a de número 1014179-20.2020.4.01.3600, em trâmite na 3ª Vara Federal Cível da SJMT.

Saiba mais

A EC 103/ 2019 instituiu novas alíquotas de contribuição para a Previdência, além da exigência de idade mínima para que homens e mulheres se aposentem. Além de instituir a idade mínima, tornando ainda mais distante o sonho da aposentadoria, a EC 103, aumenta o tempo e alíquotas de contribuição, e ainda reduz os valores dos proventos.

Conforme explica o especialista em Direito Previdenciários, advogado Bruno Martins, a existência de duas regras de transição exige que o Servidor tenha atenção àquela em que melhor se adequa, já que uma trata do sistema de pontos e a outra exige pedágio. Além disso, a primeira tem uma idade mínima como condicionante para o recebimento de proventos integrais e com paridade o que não existe na segunda. Então,  segundo ele, diante das possibilidades de aposentadoria é preciso ver a que está de acordo com o intento do Servidor e os requisitos que ele possui.

Pelas disposições em vigor desde então, o Servidor Federal tem que optar, nos casos previstos, pelo sistema de pontos ou por pagar pedágio sobre o tempo de contribuição que faltaria caso as regras não tivessem mudado. Em síntese, uma verdadeira pedra no sapato dos Servidores.

Luiz Perlato/SINDIJUFE-MT

Veja ainda

  • Fenajufe consegue, no CSJT, exclusão de planos de saúde da margem consignável dos(as) servidores(as)

  • Plenária Nacional do Fonasefe neste sábado (24) reforça defesa do serviço público e das estatais

  • Justiça do Trabalho: Abertas as inscrições para Seminário sobre Direito Digital e Inteligência Artificial

  • Estabilidade de servidores divide líderes, mostra Painel do Poder